Home > Destaque > Após seis meses, fronteira do Paraguai com MS será reaberta dia 29
Comerciantes de Pedro Juan aguardam reabertura da fronteira.(Foto: Reprodução)

Após seis meses, fronteira do Paraguai com MS será reaberta dia 29

O Governo do Paraguai aprovou nesta terça-feira (22) o protocolo sanitário para a reabertura parcial da fronteira terrestre com o Brasil. Com isso, a divisa de Pedro Juan Caballero com Ponta Porã será liberada a partir do dia 29 de setembro. A decisão tem como objetivo de reativar o comércio entre os dois países após seis meses de total isolamento devido a pandemia da Covid-19, o novo coronavírus.

Por meio de uma nota divulgada nas redes sociais, a Direção-Geral de Migração do Paraguai explicou que a abertura será parcial e temporária nas passagens da fronteira com o Brasil e será sob as diretrizes dos departamentos de Alto Paraná, Canindeyú e Amambay.

A instituição disse que a abertura começará na modalidade teste, com a Ponte da Amizade, em Alto Paraná, durante as três primeiras semanas. Nesse período, serão permitidas a entrada e saída de nacionais, bem como de estrangeiros residentes e não residentes no Paraguai.

A Direção-Geral de Migração do país disse que a permanência da decisão dependerá de como os moradores se portarão diante da liberação, respeitando os protocolos de saúde. As restrições do país estariam vigentes até o dia 29 de setembro, quando fronteiras serão abertas.

O Governo providenciará que o fluxo de pessoas visitantes seja das 5h00 às 14h e que o horário para a saída do território seja a partir das 18h. Os turistas que entram no país não poderão se deslocar para outros departamentos.

Imagem

6 mil desempregados

O protesto desta terça-feira (22) pode ser um dos maiores da história da cidade e já reúne milhares de pessoas na ruas de , na fronteira com Ponta Porã, do lado brasileiro. Além de comerciantes, a manifestação aglutina funcionários demitidos e moradores das duas cidades.

Em conversa com a reportagem do Jornal Midiamax, o presidente da Câmara de Comércio de , um dos organizadores deste movimento que tomou as ruas da cidade, confirmou que ao longo da pandemia, mais de 5 mil pessoas já tinham sido demitidas. “Com anúncio de fechamento das três lojas do Maxi Supermercados e também do Fortis, esse número pode passar de 6 mil”, explicou Victor.

Segundo o comerciante, apesar da manifestação ter praticamente paralisado as duas cidades, até o momento, o Governo Paraguaio  ainda não fez nenhuma sinalização positiva sobre as reivindicações. “Só que depois de hoje, acredito que muita coisa vai mudar. Demos uma demonstração de força e conseguimos passar a mensagem de que ninguém mais aguenta essa situação”, comentou ele.

FONTE: https://www.midiamax.com.br

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

FCO Empresarial: Parcelas de outubro, novembro e dezembro estão prorrogadas para janeiro de 2021

Atendendo as solicitações do Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis do FCO, o Banco do Brasil anunciou que os empresários de ...